Arquivo de fevereiro \29\UTC 2012

CAIU NA REDE É PRÊMIO

PPS: democracia, ética e transparência

Conheça um pouco do PPS, e os projetos de comunicação mencionados por Claudio Botelho, Diretor da agência Botelho Comunicação.

CAIU NA REDE É PRÊMIO

PPS + Serra

Ex-governador ainda estuda candidatura a prefeito de SP, mas já corteja o tradicional aliado, que diz manter Soninha na disputa

Enquanto tenta reunir pré-requisitos que possam embasar uma nova candidatura a prefeito de São Paulo, o tucano José Serra começou a consultar antigos aliados para discutir a montagem de uma coligação.

O ex-governador paulista procurou o PPS na quarta-feira para sondar a possibilidade de receber o apoio da legenda, que esteve ao lado de Serra na campanha presidencial de 2010.

Serra teria ouvido de aliados que o PPS poderia abrir mão da candidatura de Soninha Francine na capital paulista e resolveu consultar o presidente nacional da legenda, Roberto Freire.

Oficialmente, o partido afirma que não pretende se alinhar automaticamente a uma eventual chapa encabeçada por Serra.

“Eu disse ao próprio Serra que o PPS está firme na candidatura da Soninha”, afirmou Freire. “Não se pode abandonar um projeto político.”

Apesar de adotar em público uma postura pela candidatura própria, o presidente do PPS pode se ver obrigado a abrir caminho para o tucano.

Serra foi um dos principais responsáveis pela eleição de Freire à Câmara dos Deputados. O ex-governador o convenceu a trocar seu domicílio eleitoral de Pernambuco para São Paulo, o que evitaria uma disputa por votos com o presidente nacional tucano, Sérgio Guerra. Auxiliado pelo grupo de Serra, Freire se elegeu com 121 mil votos.

A sintonia entre os dois é tão grande que o PPS é sempre citado nos bastidores como um destino provável para Serra caso um dia ele queira trocar de partido.

Soninha, que foi coordenadora do site oficial de Serra na campanha de 2010 e atualmente ocupa uma superintendência no governo de São Paulo, reafirmou sua pré-candidatura pelo PPS e disse que não tem planos de abandoná-la em prol do tucano.

“Eu quero ser prefeita. Tenho algumas semelhanças com ele (Serra), tanto que defendi candidatura (em 2010), mas também temos diferenças”, afirmou.

Serra quer ter certeza de que não vai embarcar em uma coligação magra antes de definir se será candidato.

Em 2008, quando o hoje governador Geraldo Alckmin disputou a Prefeitura da capital pelo PSDB, o único apoio de peso do partido foi o do PTB. Com poucos aliados, os tucanos tiveram apenas metade do tempo da propaganda eleitoral do vencedor daquela disputa, o atual prefeito Gilberto Kassab. Alckmin recebeu 22,5% dos votos em outubro e não conseguiu ir para o segundo turno.

Ontem, Alckmin voltou a reafirmar apoio à consulta prévia para a escolha do candidato do partido na capital, mas, na mesma direção de Serra, ressaltou que o partido tem trabalhado por um “forte arco de alianças”.

“Seja quem for o candidato, nós vamos trabalhar para ter um forte arco de alianças para vencer as eleições”, acrescentou.

Na mira dos tucanos estão o PSB do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, o PDT, o DEM e o PTB.

Prévias. O PSDB estadual liberou aos quatro pré-candidatos tucanos à Prefeitura de São Paulo uma verba de R$ 25 mil cada para tocarem as campanhas da prévia marcada para o dia 4 de março. Em e-mail enviado anteontem aos coordenadores das campanhas dos secretários Andrea Matarazzo (Cultura), Bruno Covas (Meio Ambiente) e José Aníbal (Energia) e do deputado Ricardo Tripoli, o partido informou que o diretório estadual cobrirá os gastos até esse valor.

Fonte: Clipping Mp Planejamento

Operação Skol Folia

A Skol deu um show em seus filmes. Pra quem ainda não viu, segue a sequência dos filmes.
Ótima referência.

Primeiro filme:

Segundo filme:

Que fique bem claro: E a todas que fingiram acreditar neles.

Música para o Findi

Olá Botelheiros,

Desejamos a todos um ótimo final de semana!

E pra esquentar o findi: Chemical Brothers na pista.

Bombagaray.

Quais os limites do Photoshop publicitário?

Rachel Weisz em peça exagerada – FOTO: Montagem

Tramitam na Câmara dos Deputados dois projetos de lei que visam tornar os anúncios publicitários mais próximos da realidade, o PL 6853/2010 e o PL 3187/2012. O primeiro quer obrigar os anunciantes a incluir avisos nas peças quando vierem com fotos retocadas – algo como “esta modelo não é bem assim”; o segundo vai além, barrando as imagens “meramente ilustrativas” por completo. O consumidor, então, não poderia se sentir enganado, fosse na hora de comprar um creme anti-rugas ou um hambúrguer.

Recentemente, alguns anúncios que teriam exagerado no uso do Photoshop foram retirados do ar no Reino Unido e nos EUA. As campanhas usavam como garotas-propagandas mulheres famosas como as atrizes Rachel Weisz e Julia Roberts e a cantora Taylor Swift, no entanto, as imagens sofreram tantas alterações e retoques que receberam críticas e foram consideradas “enganosas”. Enganosas porque Julia Roberts parecia a Julia Roberts de 30 anos atrás e Rachel Weisz em algum momento durante o processo de criação praticamente deixou de ser a Rachel Weisz.

Por mais que cause esse tipo de polêmica, o uso de programas que fazem correção é visto como essencial por quem trabalha com propaganda. “Todas as imagens precisam de um tratamento, embora tenhamos sempre um limite para que não fique exagerado”, afirma Gustavo Victorino, diretor de Criação da DM9DDB, que tem como clientes Johnson&Johnson e Sadia, dois candidatos a se enquadrar nos projetos.

Os retoques são vistos de outra maneira pelo deputado Wladimir Costa (PMDB-PA), que sugeriu os avisos. “Há uma enganação latente em todo o processo de criação e veiculação de peças publicitárias, e essa enganação se faz, na maior parte das vezes, por meio da imagem e da sua manipulação”, diz ele na justificativa do PL.

“Se nas artes o objetivo ao se retratar o corpo humano de forma idealizada era a exaltação do belo, na publicidade busca-se a sedução do público, a criação de uma falsa ideia de perfeição que pode ser adquirida por meio do consumo”, afirma. De acordo com a proposta, caso a peça não venha com a mensagem “Atenção: imagem retocada para alterar a aparência física da pessoa retratada”, o infrator sofre advertência; é obrigado a publicar uma retificação ou esclarecimento; ou paga multa, que vai de R$ 1 mil a R$ 50 mil e pode ser dobrada, triplicada etc., conforme reincidência.

Marcos Medeiros, diretor de Arte e de Criação da AlmapBBDO, diz que o problema dessa ideia é quantificar a alteração. Quem faria esse julgamento? Ele, cuja agência atende O Boticário, garante presar pela honestidade quando recorre ao tratamento, e lamenta: “Como sempre, pagamos pelos que cometem excessos.” Victorino, da DM9, acredita que a proposta surgiu por uma deficiência do mercado, que está exagerando. “Mas como não concordo com o exagero, não concordo com o aviso”, explica.

Quanto à ideia de acabar com as imagens meramente ilustrativas, ela surgiu porque o deputado Francisco Araújo (PSD-RR) as considera “prática nefasta”. “Trata-se de um verdadeiro estelionato comercial, já que muitos fornecedores divulgam em seus anúncios características de seus produtos e serviços que não condizem com a realidade”, justifica. “Isso é, sem dúvida, uma afronta aos princípios básicos da legislação brasileira de defesa do consumidor, afronta essa que precisa ser urgentemente debelada.”

Neste caso, a punição seria o enquadramento do recurso como publicidade enganosa, que já é proibida pelo Código de Defesa do Consumidor – ao qual seriam acrescentados dois parágrafos.

Para Victorino, a propaganda deve ser aspiracional e trazer sensações de desejo, portanto, o negócio é combater exageros e continuar investindo em sentimentos que possam culminar na compra do que está sendo mostrado.

Curiosamente, os dois diretores usaram a mesma analogia para defender as alterações tão usadas – e criticadas – pelo meio publicitário. “Quando uma mulher vai a uma festa, ela também se arruma, se embeleza”, exemplifica o da DM9. “Se exagerar na maquiagem todo mundo comenta. Se acerta, todo mundo elogia.”

“A maquiagem é uma forma primitiva de Photoshop”, brinca o da Almap. “As mulheres nos enganam faz tempo.”

Por Kate Ferry e Leonardo Pereira

Fonte: Adnews

%d blogueiros gostam disto: