Arquivo de novembro \25\UTC 2010

Por que a maioria dos importantes CEOs brasileiros não tem blog?

Por que será que os presidentes de empresas dificilmente possuem um blog? O que será que assusta tanto? Em oito itens é possível identificar os principais motivos pelos quais estas personalidades descartam a utilização de um blog e das demais redes sociais.

A falta de tempo é com certeza uma boa desculpa. Para eles as redes sociais ocupam tempo demais por se tratar de mais uma forma de relacionamento. Se um blog vai bem, eles dizem que isto tomará cada vez mais tempo para manterem o diálogo necessário.

medo de discussões polêmicas é levado em consideração. A maioria acredita que o acesso de funcionários poderá ser para reclamar, isto no blog e também nas redes sociais.

Discussões pela internet podem não ser relevantes. Já que não é interessante por que investir? Além disto, acreditam que o público que desejam atingir não está preparado para o relacionamento das redes.

Até onde essa conversa vai? Grandes executivos temem que uma conversa nunca tenha fim. Como se uma postagem ou assunto nas redes sociais fosse ficando cada vez mais complexa e tomasse proporções até mesmo pessoais.

Se der certo o sucesso consumirá tempo, mas se der errado e o destino do blog seja o fracasso a imagem destes intocáveis estará abalada. Todas as possibilidades estão em jogo, só que nada será mais frustrante, segundo eles, do que uma relação fracassada com a comunidade.

Cada vez mais, o vazamento de informações confidencias é uma preocupação das grandes empresas. Para os presidentes, é preocupante o compartilhamento de conteúdo nas redes sociais. Isto é ainda mais problemático em empresas que não pregam a proteção da informação.

Novamente a vaidade é um ponto relevante neste último item. O que meus colegas vão pensar? Um presidente que tem tempo para alimentar um blog e ser ativo nas redes é no mínimo desocupado.

São todos estes paradigmas que atrapalham uma vida on line ativa de presidentes e grandes executivos, mas muitos deles são desnecessários. Estes profissionais de ponta seriam grandes provedores de informação, e isto é ainda mais importante no momento em que vemos muita porcaria circulando na internet. Seria muito bom se repensassem sobre o assunto.

Fonte: revista Época Negócios.

Como você se sentiria participando de uma “campanha espiã”?

Preste atenção nesta ação. É de certa forma simples, mas o conceito utilizado e estratégia são simplesmente fantásticas.

Com base em “Mais do que você pode imaginar”, uma companhia de trens da França acompanha alguns passageiros que utilizam o sistema. Após captarem informações básicas por meio de um check in espião, a empresa estuda os comprotamentos em outras redes sociais para descobrir informações-chave sobre estes passageiros selecionados. O objetivo é incentivar as pessoas a viajarem mais de trem, e para isto presentes inusitados são entregues antes do embarque.

Não sou nenhum expert no idioma francês, mas o vídeo não precisa de nenhuma tradução. A ação fala por si só:

Um pouco de Botelho em tudo. Confira o case.

Do anúncio de TV ao folder. Do evento de lançamento às redes sociais. Da formatação do produto ao uniforme do aluno.

É inovando sempre que a Botelho se torna parceira de seus clientes. Limitar sua atuação em uma conta não é o perfil da agência. É dessa forma que sempre agregamos mais valor aos detalhes que fazem a diferença entre o sucesso e o fracasso de uma campanha.

Confira no vídeo abaixo todas as etapas deste job.

A criação e ilustração é de Marcelo Werneck, redação de Rafael Golgatti e o pequeno vídeo foi editado por Alex Ivonika.

A peça está acessível em nosso portfólio.

3 produtos, 3 anúncios e uma imagem em comum.

Na edição da Revista Exame do dia 20/10 há no mínimo um fato curioso, 3 anúncios onde poderia ser utilizada a mesma imagem. Vamos analisar um por um:

THERA – Anúncio Imobiliário

Buscando valorizar um espaço residencial em uma área predominantemente comercial, “lugar para viver e trabalhar”, é um conceito muito utilizado em empreendimentos residenciais de classe AB. Em uma cidade como São Paulo, isto é muito válido, já que o tempo que gastamos nos transportando é em muitas vezes o principal déficit na sua qualidade de vida (a não ser que você trabalhe até tarde, a ponto de conseguir fugir do trânsito).

Neste caso, a imagem da mocinha bonita e bem sucedida com a cidade (ou parte dela) aos seus pés, funciona!

CAIXA

Hum, imagem sem muita definição, cores apagadas e balõezinhos jogados em qualquer lugar. A imagem de uma cidade e o conceito de presença (lembrou do concorrente?) é importante quando a gente vai escolher um serviço bancário. Mas aqui não foi muito bem aplicado e já está batido. Aí vale: “faça melhor ou faça diferente”.

TOTVS

“Garota” propaganda de credibilidade e imagem de São Paulo atual, porém clichê.

Título, imagem e texto dizem a mesma coisa, será que vale a pena anunciar dizendo que você está presente em cada balãozinho da cidade? Os segmentos já estão representados no texto, e mesmo que fosse usar símbolos, poderíamos ir além deles.

Todo mundo já usou foto da cidade com o conceito de abrangência, mas isso é conceito de marca? Nesse caso, na mesma revista, 3 anúncios de diferentes segmentos, cor o mesmo azul sóbrio corporativo. É nesses momentos que devemos buscar mais inspiração, agregar conceitos de verdade, dá uma cara para a marca, ousar e inovar.

No mercado B2B a abrangência é fator básico para terceirizar algum serviço, é necessário algo mais para tocar o cliente, um detalhe que faça a marca única.

Estar em qualquer lugar pode ter um bom significado, mas é preciso ir mais fundo, mostrar o que somente este produto pode resolver para você, e não pelos outros e para os outros.

Investimento em publicidade nas redes sociais deve alcançar US$ 1,7 bi em 2010

A gradual recuperação da economia norte americana aliada ao direcionamento de marketing, cada vez mais atento aos fenômenos sociais, têm proporcionado um expressivo aumento dos investimentos em publicidade nas redes sociais, ou mídias sociais, no primeiro semestre de 2010.

Segundo estimativas da eMarketer, os anunciantes investirão US$ 1,680 bilhões de dólares em publicidade nas mídias sociais em 2010, nos Estados Unidos, o que representa um aumento de 20% ante o investimento no ano de 2009. Além disso, as previsões apontam para um investimento na ordem de US$ 2 bilhões de dólares em 2011.

Dentro do modelo de publicidade em mídias sociais o facebook receberá praticamente metade do total investido, enquanto o MySpace segue perdendo importância. Por outro lado, o Twitter que em 2010 deve receber poucos investimentos possui grandes chances de atingir um crescimento significativo, caso o modelo de publicidade, lançado este ano, continue a se mostrar efetivo.

Fonte: publicidadenaweb.com.br

Criatividade na mídia faz toda diferença. É disso que o mercado precisa!

Vamos trazer aqui uma ação de comunicação que merece respeito. Todos conhecem milhares de esforços de ONGs e associações que lutam contra a matança de baleias, mas o que queremos mostrar é algo realmente criativo, que se diferencia muito das peças comuns e, principalmente, na mídia utilizada. Segue a lógica do momento do que qualquer lugar pode ser mídia e tudo pode ser viralizado.

O “pós-ação” e ainda mais interessante. Na própria página do vídeo no YouTube você pode colaborar, doando para a IFAW.

%d blogueiros gostam disto: